Sob a redoma – Stephen King

under-the-dome-by-stephen-king-full-cover

Esse foi o primeiro livro de King que eu li. Sempre ouvi falar muito bem do escritor e sempre me interessei pelas suas obras, mas nunca havia comprado nenhuma. Foi então que estava sendo lançado no Brasil o “Sob a redoma” , li a sinopse e acabei gostando. O preço tava “salgado”, mas ele foi comprado mesmo assim. Não tenho certeza se foi no final de 2012 ou se foi no início desse ano que comecei a ler.

O livro pode assustar algumas pessoas pela quantidade de páginas, são 951. Ele é grosso, mas eu não fico intimidada com a quantidade de páginas, afinal, quando a história te envolve de verdade, as páginas passam e tu acaba nem percebendo.

Mas vamos ao que interessa, a história. O enredo gira em volta da cidade de Chester’s Mill, no Maine. Uma cidade pequena, de interior. Tudo vai muito bem, obrigado em Chester’s Mill quando sem mais nem menos, um campo gravitacional cerca a cidade inteira. Os personagens descobrem que a cidade foi cercada por uma espécie de redoma de vidro por conta de diversos acidentes. A forma que o livro começa e como King descreve a cena é fantástica! Aviões partindo-se ao meio, assim como os animais, a vegetação e tudo mais que estivesse no caminho da redoma. O livro inicia com o típico “nossa vida é perfeita, tudo é tão lindo…” e de repente muda do avesso o enredo.

O mistério fica todo em volta sobre quem ou o que, colocou a redoma lá. Por que Chester’s Mill? Foi o Governo Americano? Era algum ato de terrorismo? Essas questões vão sendo descobertas por nós, leitores, juntamente com os personagens. O mundo de fora da redoma começa a cercar o local. Eles estão tentando descobrir maneiras de entrar ou até mesmo quebrar essa barreira. Diversas tentativas são feitas,mas elas não funcionam. Numa história de King as coisas não se resolvem com muita facilidade.

Além do mistério da origem da redoma, os moradores estão em total isolamento do mundo lá fora. Portanto, algumas coisas começam a mudar. E como sempre dizem por aí: é quando o problema aperta, que tu percebe como as pessoas realmente são. Em Chester’s Mill não foi diferente. Crimes começam a aparecer pela cidade, autoridades começam a querer mandar em todos, saques são frequentes, uma vez que todos estão desesperados e com medo de que a comida acabe, e pessoas que agiam de uma maneira, agora agem de outra. É como se fosse o BBB, porém bem mais extremo, incluindo as manipulações e tudo mais.

Somos apresentados a algumas pessoas da população da cidade, sendo cada capítulo descrito sobre aquele personagem, suas ações e pensamentos. E é aí que começa o “problema”. A quantidade de personagens é imensa. Logo no início do livro somos apresentados a um mapa e uma lista dos moradores. E minha gente, é nome que não termina mais. Fiquei assustada quando bati o olho naquilo. Sou péssima com nomes. Depois de um tempo tu acostuma, associa alguns personagens. Mas tem outros, que eu precisei voltar algumas páginas para lembrar quem eram. Apesar disso, os personagens tem um toque de verdade. Tu consegue odiá-los com muita facilidade, assim como consegue amá-los muito rápido. E uma das coisas interessantes, é que apesar de um personagem realizar um ato de maldade, ele pensa que aquilo está sendo feito para o bem de alguém. Portanto, mesmo odiando o personagem, tu consegue entender as motivações que levaram ele a chegar naquele ponto.

Não tenho como descrever os personagens, afinal eles são muitos. Tem alguns centrais na história, mas acredito que seria “injusto” com os outros se descrevesse somente eles. Afinal, eles foram feitos de maneira completa e bem real, portanto, só lendo para descobrir.

Não me prolongando muito mais que isso, a minha impressão do livro foi “nhé”. Esperava mais da história e na metade do livro fiquei me enrolando para acabar. Achei um pouco arrastado em alguns pontos. Num certo momento acabei chegando a “enjoar” do enredo e dos personagens, porque tinha a impressão de que NUNCA aquele mistério seria resolvido. Como estava chegando no final do livro e aquilo não se desenrolava, comecei a ficar nervosa pois não sabia se ao terminar a leitura, os mistérios seriam satisfatoriamente resolvidos para mim. Não gostei muito do final, me senti perdida nele.

Mas no geral, é um livro bom. O tipo de livro para se ler com paciência e muita calma, para absorver a quantidade de personagens e os acontecimentos. Muitos dos problemas enfrentados pelos habitantes de Chester’s Mill, nos fazem pensar em como seria se acontecesse de verdade algo do gênero. Até que ponto o homem é capaz de ir para sobreviver e para manter  “de pé” aqueles que ele ama? A escrita de King é perfeita, a narrativa é bem feita. Apenas fiquei “nhé” com o desenrolar da história. Mas definitivamente, é um livro que cada pessoa vai ter uma opinião. Assim como os personagens, é muito fácil amar o livro, assim como é muito fácil odiá-lo.

Ficha técnica:

  • Editora: Suma de Letras
  • Número de páginas: 951
  • Ano: 2012
  • Nome Original: Under the dome
  • Autor: Stephen King

Beijos

Anúncios

Publicado em 30 de julho de 2013, em Livros Internacionais, Resenhas. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: