Arquivos do Blog

Como eu era antes de você – Jojo Moyes

Como-eu-era-antes-de-voce_Destaque

Não sei vocês, mas eu virei uma Jojo lover! Já havia lido um outro livro da escritora (inclusive fiz resenha dele aqui no blog) e já tinha gostado muito da história e da maneira que era escrito. Mas depois de ler Como eu era antes de você, fiquei a-p-a-i-x-o-n-a-d-a!
É incrível o poder que algumas pessoas tem de colocar em poucas páginas, uma história tão cativante e que alegra o coração.

Louisa Clark é uma mulher de 26 anos, que mora com os pais, a irmã e o sobrinho pequeno. Tem um namorado há anos e mora numa cidade pequena da Inglaterra. Lou leva uma vida nada extraordinária e totalmente pacata. Tudo começa a mudar quando o seu atual emprego numa cafeteria da cidade fecha as portas e ela se vê obrigada a procurar alguma outra ocupação, uma vez que é dela que vem grande parte do sustento de sua casa. Lou vai até uma agência de emprego, tenta alguns empregos “diferentes“, mas não se encaixa em nenhum. Até que lhe é oferecido um emprego de cuidadora, de um rapaz tetraplégico chamado Will.
E é a partir desse emprego, que sua vida muda totalmente.

A personagem de Lou é uma pessoa excêntrica. Gostos peculiares, e uma pessoa nada dentro do “padrão“. Não se veste da mesma forma que outras pessoas e não parece ligar para a opinião de ninguém, além da sua.
A grande jogada desse livro, é não é ser mais uma história de amor convencional. Aquela historia de um casal que se conhece, se apaixona, faz sexo, brigam por algumas diferenças, mas acabam se acertando no final, não acontece aqui
Os personagens se apaixonam sim, mas de uma forma totalmente “não sexual“. É aquele tipo de amor que dificilmente vemos hoje em dia. É complicado aceitar o conceito de que uma pessoa “normal” se apaixone por alguém que perdeu totalmente a vontade de viver. Will sofreu um acidente e por essa razão, tornou-se tetraplégico. Nós, leitores, entramos de cabeça com Lou para tentar animar o rapaz a ver mais graça na vida que ainda possui.

A história é linda. Ela fala, sobretudo, no amor. Como eu disse antes, amor na sua forma mais pura. Prepare-se para chorar no final, dar boas risadas durante o livro, se apegar aos dois personagens principais e querer saber mais sobre o universo de pessoas que utilizam cadeira de rodas ou que por alguma circunstância da vida, tiveram que se adaptar a novas maneiras de viver.

Jojo definitivamente sabe como prender o leitor e fazê-lo se perder nas páginas dos seus livros. Uma história que vale a pena ser lida. Várias e várias vezes.

Leia e apaixone-se também 😉

Ficha técnica

Nome: Como eu era antes de você
Autora: Jojo Moyes
Ano: 2013
Editora: Intrínseca
Número de páginas:
320

Sinopse

“Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.”

The Perks of being a Wallflower -Stephen Chbosky

maxresdefault

Antecipo que esse foi um dos livros que eu achei mais profundos de todos que já li, e que me deixaram uma mensagem muito grande: ame acima de tudo, e viva todos os momentos como se eles fossem únicos.
Eu já havia ouvido falar desse livro. Afinal, quando um livro se torna filme, ele acaba virando bem mais popular. Eu assisti ao filme alguns anos atrás e me emocionei muito com ele.
Mas foi em 2016, após ler alguns trechos na internet, que eu decidi por fim ler o livro. Mesmo tendo visto o filme e sabendo da história, os detalhes eu já não lembrava mais.

Comprei o livro em inglês, no formato de ebook para ler no Kindle. Inglês porque eu queria treinar mais a língua e ebook porque é simplesmente mais fácil de levar aos lugares e eu não tenho mais espaço físico em casa para colocar meus livros.
O livro é curtinho, são apenas 224 páginas. Mas é intenso. Muito intenso.
O formato em que ele é escrito é um pouco confuso no início, mas logo nos acostumamos com Charlie, o personagem principal, escrevendo cartas para alguém e simplesmente contando detalhes dos seus dias, das suas rotinas. Mas principalmente, dividindo seus pensamentos e opiniões, que são um tanto quanto peculiares.
Charlie é um garoto de 15 anos que possui alguns problemas. Problemas estes que só entendemos de fato no final do livro.
Essa história não traz nada de excepcional. Não me entendam mal. Quero dizer que a história é baseada em fatos que acontecem todos os dias nas vidas das pessoas. E é exatamente isso que faz o livro ser tão incrível. Alguns detalhes do nosso cotidiano já se tornaram tão normais que simplesmente não paramos para pensar sobre eles e acabamos não dando o valor necessário.
Charlie acabou me fazendo enxergar coisas que eu não tinha parado para pensar ainda. Como o valor de um abraço de alguém próximo. Ou alguém te dizer o quanto tu é especial. São coisas simples e que não acontecem com frequência (infelizmente).

Charlie é um adolescente sozinho, e que logo começa uma amizade com Sam e Patrick. Eles logo viram amigos inseparáveis e inserem Charlie numa vida bem diferente da qual ele estava acostumado. Charlie começa a dar valor a amizade e descobre seu primeiro amor. Dá seu primeiro beijo, e descobre todos os dramas pelos quais adolescentes passam.
Eu realmente não quero falar muito sobre a história, porque é exatamente ela que é o ouro do livro. E com ele sendo tão curtinho, acredito que falar muito dele irá trazer spoilers e tirar a magia dessa leitura.
A pureza dos personagens e a pureza dos sentimentos te faz sem dúvidas, se sentir infinito.

E no fim, eu desejei com todas as minhas forças estar saindo daquele túnel em direção as luzes da cidade com o mesmo sentimento de Charlie: de liberdade, de pertencer a algum lugar no mundo.

Com amor,

Naty.

 

Ficha técnica

Nome: The Perks of being a Wallflower
Autor: Stephen Chbosky
Número de páginas: 224
Editora: MTV Books
Ano: 2012

Sinopse

Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras – são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude.”

Ender’s Game

Boa tarde!

Hoje vim falar de uma história que ainda não li, mas assisti ao filme e achei in-crí-vel! O filme não teve muito repercussão por aqui no Brasil, não consigo imaginar o porquê. Mas, posso dizer que foi um dos melhores filmes do ano! Ender’s game trata-se de uma história futurista, que se passa nos ano de 2164 até 2170. Ender é um guri novinho, que foi designado a combater uma guerra contra uma espécie alienígena que invadiu a Terra alguns anos antes. A Terra continua em “Guerra”, após ter vencido uma batalha, pois quer estar preparada para um novo ataque e melhor ainda, atacar antes dos alienígenas. Ender acaba sendo uma criança com um intelecto fantástico, muito mais avançada que seus companheiros. E isso o faz conquistar a simpatia e admiração do coronel Graff, que faz de tudo para colocá-lo como comandante do ataque ao povo alienígena. O filme me surpreendeu, não esperava por um reviravolta daquelas no final. E isso me deu mais vontade ainda de ler os livros. Sim, descobri que são vários contando a história de Ender e suas façanhas pelo espaço a fora. O autor, Orson Scott Card não me era conhecido, mas passei a admirar seu trabalho pelo simples fato que nos é dado, como por exemplo, que durante a guerra, toda a inocência e simplicidade da infância somem quando se está enfrentando um inimigo. Não há espaços para derrotas ou sentimentalismo excessivos. Não foi à toa que o escritor recebeu em 1985 o Prêmio Nebula de melhor romance e em 1986 o Prêmio Hugo de melhor romance. No Brasil, o livro chegou com o nome de Jogo do Extermínio (que eu achei um horror, mas se fosse traduzir o Título original, iria ficar pior ainda, então né…). Ele foi trazido ao país através da editora Devir Livraria, que por coincidência eu também não conhecia. O que quero comentar é: apenas vi o filme e sei que livros são sempre diferentes e geralmente mais ricos em detalhes do que os filmes. Mas, mesmo sabendo disso, a minha vontade só aumentou após assistir ao longa. Tenho certeza que não vou me decepcionar com a história. O preços dos livros aqui no Brasil ainda está um pouco “salgado”. Mas é uma daquelas histórias que valem a pena serem lidas 😉

Sinopse do livro:

Situado na Terra no futuro (2164 até 2170), o romance apresenta uma humanidade em perigo que mal sobreviveu a dois conflitos com os Formics (um exótica espécie de insetóides, normalmente chamados de “abelhudos” pela maior parte da população). Estes alienígenas mostram um comportamento de grupo parecido com o das formigas, e são muito protetores de seu líder, bem como as formigas da Terra protegendo a sua rainha. Em preparação para uma eventual terceira invasão, a Esquadra Internacional mantém uma escola para encontrar e treinar comandantes de futuras esquadras. As crianças mais talentosas do mundo, incluindo o protagonista do romance, Ender Wiggin, são tomadas em uma idade muito jovem para um centro de treinamento conhecido como a Escola de Combate. Lá, os professores vão treiná-los nas artes da guerra através de jogos cada vez mais difíceis, incluindo aqueles realizados em gravidade zero na Sala de Combate onde o gênio tático de Ender é revelado”

20140504-014035.jpg

 

 

logo fundo transparente1