Arquivos do Blog

Outlander – A Libélula no âmbar por Diana Gabaldon

url

Demorei, mas voltei! Prometo que a resenha vai ser boa, afinal eu não li esse livro uma, mas duas vezes antes de escrever sobre ele.

Começando pelo novo layout que a Editora Saída de Emergência BR deu para o livro. A-D-O-R-E-I! Confesso que quando vi o Jaime na capa, achei que o livro seria todo sob a perspectiva dele e eu… ERREI! haha Mas isso não diminui nem um pouco a grandiosidade da história.

Depois do final de Outlander – Uma viajante do tempo (leia a resenha aqui), ficamos com aquele gostinho de quero mais com o final do livro. Ele foi feito obviamente com a intenção de uma continuação, e imaginem minha surpresa quando estou louca para saber o que Jaime e Claire fizeram depois e quando abro o livro, me deparo com os seguintes dizeres: PARTE I Através de um espelho, às escuras. Inverness 1968.
PARA TUDO! 1968???? Como assim?! Eu deixei eles em 1745! Tem alguma coisa errada!
Imagino que tenha sido o pensamento de todo da série que abre o segundo livro e se depara com tal data. Sem mais spoilers sobre o início, confesso (de novo) que fiquei um pouquinho decepcionada. Quem se importa com novos personagens?! Mas sendo Diana Gabaldon uma rainha na arte de escrever, não nos chateia nem um pouco com as novas revelações. Não consigo me decidir se gostei mais do primeiro ou do segundo livro. Seguindo a mesma origem do primeiro, vocês não ficarão nem um pouco decepcionados com os fatos históricos presentes. A escritora fez igual (ou melhor) trabalho em inserir fatos reais da nossa história no livro. Fica mais fascinante ainda. É como se os personagens realmente tivessem existido.

Pulando o choque original, somos introduzidos a novos personagens que vão nos fazendo odiá-los e amá-los conforme a trama segue. Quem diria que eu pegaria tanto nojo de um famoso príncipe aí, hein?
Mas temos a continuação da história de velhos personagens também, e esses nunca decepcionam. O amor de Claire e Jaime está cada vez maior, assim como a confusão que eles conseguem se meter com o decorrer dos eventos. Basicamente, eles decidem tentar evitar a famosa batalha de Culloden, no qual os escoceses foram massacrados e os clãs dizimados. Mas ao se meter em tal aventura, muita coisa dá errado e eles se veem novamente naquela batalha interior entre tentar salvar a vida de milhares de pessoas ou salvar a pele deles. Não vou contar muitos detalhes da história em si, pois a grande delícia é ir descobrindo como as coisas vão acontecendo.

Diana tem um talento de inserir personagens que parecem pequenos, mas que com o decorrer da história, se tornam enormes e de grande importância. Por isso, fiquem sempre atentos aos personagens que aparecem e aparentam ser insignificantes.
O livro é extenso, e um chumbo de levar para ler em outros lugares que não sua casa. Mas vale cada esforço do bíceps para levantá-lo. Nos apaixonamos ainda mais pelo nosso casal preferido, e nos apaixonamos por um outro futuro casal também…
Claire como narradora dos eventos continua maravilhosa. Eu sentia cada emoção dela. Todo o amor, ódio, raiva, alegria que ela passava, eu sentia na pele também.
O final do livro como sempre, me trouxe muitas lágrimas. Sempre espere por algo grandioso e doloroso para ocorrer nos últimos capítulos. Assim como A viajante do tempo tem os capítulos finais de uma dor imensa, a Libélula no âmbar nos faz soluçar! Chegou num momento que já não conseguia nem ler mais, de tantas lágrimas nos olhos. Mas é a última página e as últimas palavras que te fazem gritar loucamente pelo quarto após encerrada a leitura. Na primeira vez que li, fiquei toda arrepiada e com um sentimento de esperança que eu acho que nunca tinha vivenciado antes! Loucura né?!
E na segunda vez em que li, fiquei arrepiada da mesma forma (mesmo já sabendo o que iria acontecer) e com o mesmo sentimento de esperança, mas talvez um pouquinho mais de conhecimento (uma vez que eu já li a série inteira haha).

Bom, para terminar, meu conselho é: LEIAM! Vale cada centavo, cada esforço, cada noite insone. Virei da série desde o momento em que conheci Claire e Jaime. É um universo maravilhoso e sem dúvidas, te faz esquecer da vida, dos problemas e te incita a querer conhecer mais sobre a Escócia. Recomendadíssimo!

Sinopse

Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo… E sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII.
O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?”

Nome: Outlander – A libélula no âmbar. Livro 2
Autor: Diana Gabaldon
Número de páginas: 944
Editora: Saída de Emergência BR
Ano: 2014

Anúncios

Trecho do livro Outlander – A Viajante do tempo de Diana Gabaldon e booktrailer

Para quem ficou curioso com a história, pode acessar em pdf um pedacinho do livro, aqui.

Veja também o book trailer e o trailer da série adaptada para televisão.

Outlander – A viajante do tempo

Outlander_Capa WEBFazia tempo que eu não ficava tão empolgada com um livro. E meus queridos, depois de ler Outlander, fiquei obsessiva em descobrir tudo a respeito do universo do livro. Mas antes de contar essa parte, vou contar sobre como descobri essa maravilha de livro.

Fui na livraria semana passada, desesperada por um livro novo para iniciar 2015. Tinha alguns títulos na cabeça, mas acabei indo procurar pelas estantes mesmo. Achei dois. “Outlander” e “O chamado do Cuco”. Fiquei em dúvida entre levar para casa uma autora que eu conheço muito bem e outra que nunca tinha ouvido falar. Como acabei me decepcionando um pouco com “Morte Súbita”, decidi dar uma chance para a viajante do tempo (isso e com a ajudinha do namorado que disse que eu ficaria entretida mais de uma semana com um livro maior e não só algumas horas. Fato esse que não se confirmou haha). Comprei o livro no sábado, mas só fui começar a ler no domingo depois do almoço. E bom, eu só consegui largar o livro quando eu terminei a última página. E isso foi na terça pela manhã haha (sou obsessiva quando gosto da história).

A história se passa em 1945, quando Claire e seu marido Frank resolvem ir até a Escócia passar por uma segunda lua de mel. Claire é atraída até as pedras mágicas daquele lugar, e quando as toca é transportada 200 anos no tempo. Detalhe, são 200 anos no passado, sendo assim, ela chega a 1743, numa Escócia marcada por disputas de clãs, guerras, violência e muito descaso dos homens em relação as mulheres, sendo um lugar extremamente perigoso para uma mulher ficar sozinha. Ela acaba se vendo apaixonada por um escocês, chamado Jamie e isso leva toda a história a tomar seu rumo. Muito se engana quem pensa que se trata apenas de um romance bobo. A autora fez muito bem sua pesquisa histórica e encontramos diversos elementos reais no livro. Uso do gaélico, vestimentas, modo de falar, canções e comida típica. Tu realmente se sente dentro daquele ambiente com Claire. E como ela, acaba se apaixonando por Jamie também. Os personagens são complexos, nada superficiais, sendo todos eles parte de alguma trama que acabamos descobrindo somente mais tarde na história. É um livro muito envolvente, como se as 800 páginas não fossem nada. Além do mais, nem todos os enigmas são jogados na nossa cara. A leitura precisa ser feita com um pouco de cuidado, para que realmente se possa entender o que está acontecendo. Portanto, não é uma leitura para preguiçosos que gostam que todos os mistérios sejam mastigados e jogados na cara. É preciso concentração e esforço para entender alguns.

Após terminar a leitura, descobri que no Brasil existe somente um segundo livro traduzido. A continuação se chama “Outlander – a libélula no âmbar“. Fui correndo na livraria para comprar, mas quase cai para trás quando me deparei com o preço. Resolvi caçar na internet, e acabei encontrando uma promoção no site da Saraiva. Vou colocar o link no final do post, caso alguém queira comprá-lo.
Pesquisando um pouco mais, descobri que são 8 livros da série Outlander, disponíveis em inglês. E ainda nessa pesquisa, descobri a série baseada nos livros. Para resumir minha experiência, consumi os 8 episódios disponíveis em um dia. A série é tão fiel ao livro quanto pode ser. E muito melhor do que minha imaginação poderia pedir (leia-se o ator que representa Jamie e seu sexylindomaravilhoso sotaque escocês). Caso não estejam convencidos a ler o livro, que vejam a série e se encantem com a Sassenach e sua aventura tentando voltar para casa. Os próximos episódios serão liberados a partir de abril (e mesmo sabendo o que vai acontecer, fiquei maravilhada e ansiosa para ver como será a adaptação do resto do livro).

Adquiri meu exemplar do segundo livro e mal posso esperar para colocar as mãos nele e novamente mergulhar no maravilhoso mundo de Claire. Conto pra vocês daqui uns dias 😉

Sinopse

“Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.

Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?”

Nome: Outlander – A viajante do tempo
Autora: Diana Gabaldon
Número de páginas: 799
Editora: Saída de Emergência
Ano: 2014

Link para comprar o Outlander – a libélula no âmbar aqui.